31 de ago de 2011

Espirro

Aperte na imagem e depois no zoom pra tirar o embaçado

s. m.
1. Movimento convulsivo dos músculos das vias respiratórias seguido de expulsão ruidosa do ar, em consequência de comichão ou excitação na membrana pituitária; esternutação.
2. Faísca que salta do lume; crepitação.


Ê

Ah que droga, apareceu uma mancha branca do nada.
Eu achei que perdeu a cor que realmente é, mas depois eu tento editar de verdade.
Odeio espirros e tô gripada, argh.

Epifania


Aperte na imagem e depois no zoom pra tirar o embaçado

(grego epipháneia, -as, aparição, manifestação)
s. f.
[...]

5. Apreensão, geralmente inesperada, do significado de algo.


28 de ago de 2011

1 tarde, 1 idéia, 2 versões

Pois é, um dia desses, a Vika (autora do blog: http://papelalbino.blogspot.com/), veio aqui em casa me ensinar a pintar em aquarela - pobre Vikão. Então, resolvemos fazer uma historinha de como foi esse trágico dia, ela postou a versão dela também.

A história é completamente verídica (maldito gnomo de jardim).

Aprendi umas cositas muito importantes como: NUNCA ESFREGUE O PINCEL e ESSE BISCOITO DE LARANJA TEM GOSTO DE REMÉDIO (ou alguma coisa assim que ela falou sobre os biscoitos que eu tinha oferecido). Mentira, aprendi muita coisa, só tenho que treinar e um dia vou pintar melhor que ela, PREPARE-SE TAN TAN DAN

Tá aqui o resultado desse exercíciozinho:




27 de ago de 2011

La sombra sin hombre


Tô com mania de falar em espanhol, cuec!

(Idéia para um conto:
Jurandi acordou assustado esta manhã, percebeu que sua sombra havia desaparecido. Na realidade, ela havia esquecido a sombra de seu chapéu no metrô na noite passada, logo teve que voltar para pegá-la.
Mas, enquanto a sombra esgueirava-se de volta para Jurandi na madrugada, parou num banquinho de praça e pensou duas coisas bastante pertubadoras: "Existe anão criança?" e "Eu existo?", nenhuma resposta foi obtida.
Contudo, percebeu que viver às custas daquele homem não era vida. Decidiu fugir, talvez constituir uma família, montar uma fábrica de palitos de dentes, ensinar francês à uma Lhama... Um mundo de opções pela frente! Ninguém iria impedi-la! - a não ser o sol, mas não era problema para Jirandu, como se auto-titulou, era uma ninja na arte de sortear números pares em sorteios de rifas.
[...]
Anos mais tarde, Jurandi encontrou sua sombra limpando orelhões com cotonetes gigantes).





24 de ago de 2011

Essa é velha


O meu irmão disse:
- Para de dizer que tá uma merda os teus desenhos, mesmo que esteja.

TÁ UMA MERDA, ele não lê isso aqui mesmo.

Eba! Atualizei em menos de 1 semana!

20 de ago de 2011

18 de ago de 2011

Saraivo, a livraria



Clique na imagem e aperte em zoom pra tirar o embaçado.

Leia depois da tirinha:

Uma coisa que eu aprendi esse ano foi: direitos autorais. Por isso eu escrevi Saraivo, mas era pra eu ter escrito Paraiva, que ficava subentendido, AH NÃO. Agora deixa.
Mentira, que eu não aprendi nada sobre direitos autorais, porque eu imito descaradamente cartunistas que eu gosto.
Essa aquarela tá uma merda, outra coisa que aprendi: faça desenhos maiores, fica mais fácil de pintar e dá pra fazer detalhes.Outra coisa também: eu não sei pintar e não sei editar direito, por isso as cores ficaram estranhas.

É ISSO AÍ.

17 de ago de 2011

Propaganda de pasta de dente na vida real

Pelo menos nos produtos de limpeza pra banheiro eles invadem a casa da pessoa pra cheirar a privada... É, não sei qual o pior.

15 de ago de 2011

Carequinha


Juro que depois dessa, eu paro com trocadilhos escrotos.
Mas olhe atentamente para Carequinha no primeiro quadrinho, a sombra ficou legal, né? Também só isso. Porque o carro e a piada ficaram um lixo.

14 de ago de 2011

Ãno eis riacr lotítu

Oooolha o anagrama no título, é surpreendente.
Não era pra rir. Foi assim tinha uma negócio no chão da sala, aí meu irmão disse:
- Tu não vai pegar?
- Não fui eu quem deixou cair.
(Na verdade eu tava com preguiça mesmo)
Então ele brigou comigo e disse esse negócio de morte aí.

SÓ QUE TAN TAN TAN TAN Fiz um final alternativo. Então quando acabarem de ler façam um "rs" mental porque é sem-graça.
Na verdade só queria tentar desenhar cavalo coisa que eu nunca consegui.

12 de ago de 2011

Modas de Belém







Não dá pra entender elas, se eu fosse cult falaria "Não dá para entendê-las", e se eu fosse
rica falaria "dinheiro" Ê NADA A VER.
Pela primeira vez fiz cenário! Ruim mas fiz!

Música maldita







Tá, ela não é maldita, mas tá há 1 semana na minha impregnada em minha mente :(
E meu Deus, tenho que aprender a escanear direito! tira toda a cor! Agora eu tô escaneando de outro jeito, tô salvando no formato TIF. com 300 dpi (sabe-se lá o que significa, só li num lugar que fica melhor). Só que eu escureço depois, ah :(






11 de ago de 2011

Ê Belém

Eu escaneei de novo porque não tinha assinado iiih





Pedrão



Ê Pedro, como eu sei que só tu entra aqui, foi a tirinha que meu irmão mais riu.
E tu já virou um personagem.

Rascunhos



A primeira foi um amigo meu que contou essa piada, o Thyagão, só representei.
E na segunda sempre achei que casais abraçados parecem um coração.


On the Trees




Essa vai ser uma série de tirinhas relacionadas com árvores hehehe. Agora você está se perguntando (aposto que não): Por que o título em inglês? A príncipio eu queria desenhar focado em Belém, pois seria interessante, mas já pensou o título: "Égua! Tem um bicho em cima da árvore!"...

Se bem que vendo agora ficou legal, ah droga. Depois eu mudo o títulozinho.


Essa daí é pra moda hipster. Se bem que era pra eu ter escrito "piu" no bird, mas tudo bem. E mais uma vez o scaner não colabora.

10 de ago de 2011

Nhom nhom




Ah, eu gosto tanto desse desenho.

Um desenho antigo


Esse daí faz um tempão, eu vi essa pose na Super e o cara era o Bill Gates, mas como eu sou péssima pra desenhar feições deixo sem rosto mesmo.

Caricaturas


É tão legal desenhar gente que a gente conhece :)

Eu vou ajeitar a Mayara por que como eu não sei pintar, a cor da pele não ficou uniforme, meu traço ficou estranho e passei a caneta nanquim antes de ficar totalmente pronto por teimosia.

Mas eu aprendi uma lição valiosa com a aquarela: Paciência, SEMPRE ESPERE SECAR antes de passar outra camada, SEMPRE.

E mais, tenho que aprender a escanear direito.

9 de ago de 2011

Eu conheço alguém, que conhece alguém, que...


E no final, a Shirley é mãe do Marcelo, ou seja ele é um filho da p*ta, SEMPRE QUIS FAZER ESSE TROCADILHO.

Eu usei personagens! E o primeiro tá igualzinho um amigo meu, mas não fica ofendido.

8 de ago de 2011

Uma tirinha clichê





Tá, essa frase tá mais do que batida, mas dane-se.
É chatão ter um texto embaixo da imagem, né?

Mas sim, vou analisar criticamente, só pra eu não esquecer depois.
Fui infeliz por escolher cor de mijo pro fundo, porque é difícil achar uma cor que se destaque e fique bom, não queria usar laranja porque a cor de pele já é dessa tonalidade, gostei do verde escuro (se bem que eu fiz besteira na hora de pintar a camisa, borrou perto da manga direita) mas deveria ter usado mais vermelho.
E TAN TAN TAN, finalmente usei nariz! E personagens! Geralmente sou eu ou alguém que existe!
Gostei dos balões de fala. Foi engraçado porque normalmente eu dividiria em dois quadrinhos em uma sequência, mas eu tenho preguiça de dividir certinho e foi um teste pra tentar causar suspense com o "!!!" no meio.
Eu fiz uma coisa bem idiota com o fantasma, pensei: "Ah! Bora pintar de branco!" É, aí eu esqueci de esperar secar e taquei-lhe o preto pra fazer um sombreado (apesar de que fantasmas são totalmente brancos, eu acho. Nunca vi um). Mas ficou legalzinho o resultado final e é bem divertido desenhar ele!
Ah! Fiquei bem satisfeita com a cor de pele, eu fiz uns trocentos testes pra ter uma corzinha razoável, vou até postar aqui depois.
Outra coisa, minha assinatura parece que tá escrito "karizon", pelo menos quando li rápido. Mas é difícil assinar com um pincel grosso! E eu ainda não inventei uma assinatura descolada.
E eu definitivamente não sei editar a imagem depois que escaneio, as cores nunca ficam iguais com o que é na realidade. Ficou meio escuro.
Mas é isso aí.





Iiih




Ih, eu estava tranquilamente pintando de azul, até perceber que: caguei tudo. Aí pensei: "Não vou estragar totalmente essa folha! NUNCA", então desenhei eu mesma e acabei sabendo qual é a sensação de pintar a camisa que eu sempre desenho mas não tenho (flamengo/freddy krueger) que é: legal.

Uma coisa que percebi é que um nariz realmente faz falta, MAS EU NÃO CONSIGO DESENHAR. Ou porque vai ficar muito diferente ou porque meu nariz é sem graça; nessas horas queria ter um narigão. Na verdade eu sempre quis ter um, são chamosos!

Mas enfim, só pra não abandonar o blog.